Slam PP apresenta poesias com crítica social

Slam PP apresenta poesias com crítica social

 

A poesia tomou conta da Faculdade Ielusc na noite de segunda-feira. Estudantes da segunda fase de Publicidade e Propaganda apresentaram poemas autorais feitos na disciplina de Linguagem e Comunicação II, durante os estudos de recursos estilísticos. A atividade contou com a participação especial de três organizadores do movimento Slam Joinville, que incentiva e realiza mensalmente eventos de poesia falada em vários locais da cidade.

Criado nos anos 1980, em Chicago (EUA), o Slam reúne pessoas, geralmente ao ar livre, para falarem suas poesias autorais. “É a poesia da rua”, definiu Isabelle Amorim integrante do Slam Joinville. No Brasil, o movimento Slam Poetry chegou por volta dos anos 2000. O campeonato ZAP (Zona Autônoma da Palavra) foi o primeiro realizado no país, em São Paulo. Embora existam competições em nível nacional e até internacional, Lucas Pacífico, também integrante do Slam J.O, explica que as notas atribuídas pelos jurados não são o mais importante. “O objetivo é usar a poesia para poder se expressar, por isso os temas são variados e há liberdade de estilo”, conta.

Isa Amorim, uma das organizadoras do Slam Joinville, apresentou poemas e também foi jurada / Fotos/vídeo: Bruna Souza

 

Nas apresentações de ontem, predominaram as poesias com crítica social. Questões como racismo, homofobia, machismo e desigualdade social ganharam destaque nas reflexões em versos. Para a professora Marília Moraes, o desempenho dos participantes foi “simplesmente fantástico”. Ela destacou que já esperava bons resultados da turma, mas acabou se surpreendendo com a profundidade dos conteúdos e com o engajamento. A professora também destacou a importância do trabalho realizado pelo grupo Slam Joinville. “Esses jovens mostram que o fazer poético continua vivo e ativo como forma de resistência, livre expressão e protagonismo”, comentou.

João Gabriel Maurente, um dos organizadores do Slam Joinville, também elogiou as poesias apresentadas pelos estudantes e convidou-os a participar dos eventos poéticos que são realizados sempre no último domingo de cada mês e divulgados via redes sociais (Slam.J.O).

Veja, abaixo, alguns momentos do Slam PP

 

 

Leia, abaixo, uma das poesias que obteve nota máxima dos jurados:

Reensaio sobre a cegueira

(Carolina Oliveira, David Sell, Emanuelly Torres, Lorena Fanhani, Raphaella Novak)

Quando você deixou de pensar? Quando decidiu os olhos fechar?
Quando resolveu engolir as mentiras que o mundo insiste em lhe dar?
E eu sou culpada?
Eu sou a desalinhada
Que insiste em gritar o que você insiste em ignorar.
Você joga suas palavras ao vento.
Você busca o alento em uma verdade sem sentido e que você só vai encontrar vivendo.
Vivendo a dor de quem se prejudica com as mentiras que você diz de peito aberto.
Vivendo com o efeito das loucuras que você apoia e da cegueira que veio do poder de veto.
De veto ao pensamento.
De veto à verdade.
De veto ao povo.
Veto à dignidade.
Quanto tempo?

Quanto tempo vai levar?
Você não vai se levantar?
Seja humano, admita o erro.
Melhor viver em arrependimento do que no desespero.
Melhor buscar a mudança do que seguir assim o tempo inteiro.
Ainda restam dúvidas em sua mente?

Então pense na gente.
Pense no jovem, na criança, no idoso, no deficiente.
Pense no negro, no pobre, mude essa crença doente.
Não vale o orgulho, nem as perdas pelo caminho.
Não vale o seu esforço, nem esperar o país resolver sozinho.
Não vale a pena esperar, não vale a pena ponderar.
O momento decisivo é agora, agora tudo tem que mudar.

 

 

 

 

Posts relacionados
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *