Museu da Imigração realiza Festival Aproximação neste domingo

Museu da Imigração realiza Festival Aproximação neste domingo

Apesar de fechado, por conta das obras de restauração, o Museu Nacional de Imigração e Colonização (MNIC) continua mantendo contato com a população. O Festival do MNIC 2018 – Aproximação é um exemplo da atuação cultural do museu em Joinville. O evento tem entrada gratuita e ocorre no dia 11 de novembro, das 11 às 18 horas, no pátio do museu e na rua Rio Branco, que será fechada para receber o público. Confira a seguir a programação completa do festival.

O objetivo do festival é aproximar as diversas culturas que compõem o tecido urbano de Joinville, fazendo com que tanto os imigrantes que fizeram parte do passado quanto aqueles que estão vindo agora para a cidade tenham suas memórias preservadas e se sintam em casa. “Batizamos o festival com o nome de Aproximação para fazer com que os imigrantes se sintam pertencentes à cidade, para que se encontrem no museu e entendam que o processo de deslocamento desses grupos é  vivido e partilhado coletivamente, independentemente da nacionalidade da pessoa”, explica Elaine Cristina Machado, uma das educadoras do museu. Segundo ela, as memórias e experiências dos imigrantes interessam para o museu, pois ajudam a entender o processo de deslocamento para o sul do país.

Uma das ações do museu para chamar a atenção do público foi gravar chamadas de áudio, em diversos idiomas, convidando os imigrantes a participarem do festival. “Para os grupos que têm alguma barreira linguística, gravamos pequenas chamadas na rádio em outros idiomas como o crioulo, francês, italiano, wolof, que é uma língua do Senegal. Isso circulou pelo Whats App para que esses grupos recebessem o convite nos seus idiomas”, comenta a educadora do museu Alcione Resin Rista.

Parte do pátio do Museu Nacional de Imigração e Colonização onde acontece a programação do festival

Acervo Digital do MNIC permite visita online

Outra maneira de manter o contato com a população é o acervo digital, desenvolvido pelo curso de Sistemas de Informação da Univille em parceria com a prefeitura de Joinville. O projeto teve início em 2010, iniciando pelo acervo do museu  Casa Fritz Alt e, em 2012, incluiu o  MNIC. “O acervo serve tanto como ferramenta pública de armazenamento de dados quanto como uma ferramenta educacional”, conta o professor Walter Coan, que orientou o desenvolvimento do projeto. 

É possível ter acesso ao museu através do aplicativo Museu Virtual Joinville, disponível apenas para celulares Androide, ou através do site clicando aqui 

De acordo com Elaine Cristina Machado, o acervo é composto por imagens e informações de aproximadamente 7 mil itens, como documentos e objetos. “Aos poucos, nós procuramos alimentar essa ferramenta que tem servido para aproximar cada vez mais o museu do público que gosta, pesquisa e deseja conhecer mais sobre o espaço desse universo museológico”, afirma a educadora.

O acevo digital também pode ser utilizado pelos professores durante as aulas.  No vídeo,  Alcione Resin Ristau dá mais informações.

 

Foto capa: Ascom/Prefeitura Municipal de Joinville

 

 

 

Posts relacionados
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *