Grupo Ciclismo Joinville participa de campeonatos mundiais

Grupo Ciclismo Joinville participa de campeonatos mundiais

Por Taynara Reinert

 

A primeira bicicleta da história foi do barão alemão Karl Von Drais, em 1817. Ela foi chamada de “máquina corredora” por Karl, enquanto a imprensa a chamava de Draisine ou velocípede. Sua composição era à base de madeira e se locomovia com o impulso dos pés. Para o criador, o objetivo era proporcionar um meio de transporte mais barato e fácil de manter que os cavalos. “A bicicleta era vista como algo da pessoa pobre ou que não tinham muitas condições financeiras. Atualmente a realidade é que em todos os grupos de pessoas existe alguém que pratica ou está começando a praticar [ciclismo]”, afirma Márcio Kopp, um dos representantes do grupo Joinville Ciclismo.

Além de utilizada na mobilidade urbana, a bicicleta também é vista como uma fonte de vida para o grupo. “Mesmo com uma infraestrutura precária, temos a plena certeza de que esse é o momento da bicicleta. A população deve fazer um teste e pedalar pelos arredores de Joinville. Temos certeza de que se tornará uma paixão ao primeiro pedal. Em nossa cidade temos diversos pedais para todos os níveis e vocês podem iniciar esse esporte que é de um prazer indescritível.”

Equipe disputa competições dentro e fora do Brasil e acumula conquistas / Fotos: galeria Joinville Ciclismo

A iniciativa de criar o grupo deu-se em 2015, com a intenção de montar uma equipe de ciclismo amador em Joinville. Começou com quatro atletas, que logo passaram a ser seis, e o apoio de três patrocinadores. Em 2016, a equipe participou do Campeonato Estadual e do Campeonato Brasileiro de Ciclismo, conquistando o título mais alto do pódio em ambos. Em 2017, o grupo atingiu o número de dez atletas e foi bicampeão do Campeonato Estadual e campeão no Pan-Americano realizado no Uruguai.

Atualmente, com doze atletas, o grupo disputa o Campeonato Estadual, pedalando pelas primeiras posições. Também disputaram, em 2018, o Campeonato Brasileiro, Copa do Mundo na Áustria e Campeonato Mundial na Itália. “Infelizmente não conquistamos o pódio, mas mostramos a força que o ciclismo catarinense e brasileiro tem”, afirma Márcio.

Para 2019, a meta é dar um passo adiante e realizar o projeto – que já se encontra protocolado e em análise – de formar a equipe feminina Master. “Vemos uma crescente utilização da bike pelo público feminino, muitos grupos se reunindo para pedais de fim de semana, pedais esses que podem ser de 30 a mais de 100 km”. O grupo ainda aguarda aprovação do projeto das Categorias, que envolve atletas de treze a dezessete anos, com base na Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte, que possibilita captar recursos junto às empresas que declaram Imposto de Renda através do Lucro Real e que, dessa forma, podem destinar 1% da arrecadação ao projeto. Pessoas físicas também estão autorizadas a participar, podendo destinar até 6% de seus impostos devidos para a causa. Tais valores são abatidos no próximo exercício da cobrança.

Falta atenção dos governantes

Mas o interesse do grupo Joinville Ciclismo também gera, entre os integrantes, algumas inquietudes bem comuns entre as pessoas que pedalam. “Infelizmente ainda temos dificuldades nas questões culturais de alguns motoristas. A própria infraestrutura para utilizar a bicicleta ainda é muito precária. Precisamos que os governantes deem uma atenção especial para que possamos cada vez mais divulgar e utilizar a bike como um meio de transporte limpo e com diversos benefícios à saúde e ao meio ambiente”, solicita Márcio.

Leia também

Bicicleta é meio de transporte de 11% dos joinvilenses

Cicloativismo defende mundo com menos automóveis

Ciclistas enfrentam desrespeito e agressões no trânsito

Posts relacionados
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.