Documentário mostra várias perspectivas sobre consumo de drogas

Documentário mostra várias perspectivas sobre consumo de drogas

Abordar um tema polêmico sob diferentes perspectivas foi o objetivo do projeto experimental de Annabel Nascimento. No documentário “Os Quatro Lados da Moeda”, ela discute a questão das drogas por meio de depoimentos de uma ex-traficante, um usuário de maconha, um policial e a mãe de um adicto. A orientação do trabalho é da professora Beatriz Cavenaghi.

A escolha do tema surgiu no ano passado, próximo às eleições, quando a estudante percebeu uma onda de intolerância e ódio atingindo a população brasileira. “Cada pessoa tem uma história diferente,  não podemos julgar uma pessoa com base apenas em um fato específico”, afirmou. “Eu estava muito incomodada com isso e fiquei pensando no que eu poderia fazer para mudar esse comportamento”, contou Annabel durante a apresentação, realizada na tarde de sexta-feira, no anfiteatro da Faculdade Ielusc.

Marília Crispi de Moraes, uma das avaliadoras do projeto, elogiou o trabalho da estudante. “Foi bastante corajoso da sua parte abordar esse tema. Você sentiu na pele como é difícil conseguir falar com as fontes”, comentou. As opções estéticas adotadas, como a divisão da tela para contrapor argumentos de fontes diferentes e o uso de legendas também foi elogiado pela avaliadora.

De acordo com Marília, o documentário ficou bem dinâmico, por conta das escolhas de edição. “Não ficou um documentário cansativo, você consegue dar agilidade para a sua narrativa. Gostei também das imagens de apoio, houve preocupação com isso”, destacou.

Lívia Vieira, que também fez parte da banca, compartilhou suas contribuições para o projeto da acadêmica. “Gostei muito do produto final e parabenizo pela escolha do teu tema”, comentou. A professora afirmou que  o produto não é específico para o Youtube, por isso Annabel não precisaria ter dedicado boa parte da contextualização de seu relatório a essa discussão. Lívia também apontou algumas questões técnicas a serem aprimoradas. “Você deve ter muito orgulho do que produziu, pois realmente é um bom documentário, que humaniza uma questão bem delicada de ser discutida na sociedade”, afirmou. Annabel foi aprovada com nota 9.

Posts relacionados
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *