Coronavírus foi tema de palestra para futuros enfermeiros

Coronavírus foi tema de palestra para futuros enfermeiros

Por Társila Elbert

A Covid-19, causada pelo Coronavírus, já é considerada uma pandemia, isso é,  a doença encontra-se espalhada por vários continentes com transmissão sustentada entre pessoas. O anúncio foi feito pela Organização Mundial de Saúde nesta quarta-feira. No Brasil, 25 pessoas estão com a doença e 930 casos estão sob investigação.  Para compreender melhor as formas de prevenção e tratamento da Covid-19, estudantes de Enfermagem da Faculdade Ielusc participaram de uma palestra com a professora Tânia da Rosa,  graduada em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e mestra em Ciências Farmacêuticas pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali). 

Em entrevista à Revi e Web Rádio Primeira Hora, Tânia explicou que a cultura de higiene brasileira e o clima quente do país contribuem para a baixa propagação da doença, mas é importante divulgar os cuidados. “Por ser um vírus de transmissão por contato direto, o principal meio de prevenção é  lavar as mãos durante 40 segundos a um minuto; em caso de tosse, sempre cobrir a boca com um lenço. Além disso, o uso de álcool em gel é muito eficaz”, afirma. Alimentos crus também devem ser evitados; o ideal é que a comida passe por algum tipo de cozimento. 

Outro assunto levantado pela professora foram os sintomas do Coronavírus que, apesar de parecidos com os de uma gripe comum, são mais severos. “Se você está com uma febre persistente, por mais de 24 horas, deve procurar atendimento. Dores muito fortes no abdômen e dificuldade para respirar também são sintomas críticos”, alerta. 

No dia 5 de março, em São Paulo, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso assintomático da doença no país, ou seja, o paciente não apresenta sintomas, mas  é portador do vírus. Um segundo caso foi registrado no dia 6, na Bahia. “Pessoas que, nos últimos dias, visitaram os países mais infectados ou tiveram contato direto com portadores confirmados da doença devem realizar o exame detector do vírus e ficarem afastados da população até o resultado”. O teste para a identificação do Coronavírus foi desenvolvido somente para este propósito, está disponível nas redes públicas e privadas de saúde e o resultado é entregue em até 48 horas.

Professora Tânia Rosa falou sobre prevenção e sintomas na Web Rádio Primeira Hora

Cuidado com notícias falsas

Além da preocupação com o avanço real do Coronavírus, as autoridades de saúde ainda precisam lidar com as fake news. O Ministério da Saúde mantém em seu site oficial uma relação de notícias falsas. Entre as informações erradas que mais circularam está um vídeo propagando o uso de vinagre em vez de álcool gel.  O site é atualizado de duas a três vezes por dia. “De quatro a cinco novos vírus são identificados todos os anos, então não é hora para pânico, o mais importante é que haja informação sobre a doença e sua prevenção”, aconselha Tânia.

Dengue também assusta

Apesar de tanta atenção  ao Coronavírus, Tânia  destaca a necessidade de manter o cuidado com uma velha conhecida dos brasileiros, a dengue. “Nós temos 43 casos autóctones de dengue confirmados em Joinville, isto é, quando a pessoa foi picada pelo mosquito e desenvolveu a doença sem sair da cidade, e outros 30 casos de pessoas que viajaram”, informou a professora. Ela enfatiza que o Coronavírus pode ser prevenido com higiene pessoal, a dengue depende da colaboração de todos, a fim de que não haja acúmulo de água, ambiente ideal à proliferação do mosquito transmissor. “A dengue ainda é a prioridade na nossa rede pública de saúde”, observa.

 

 

Posts relacionados
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *