Acadêmico propõe programa de entrevistas e música sertaneja

Acadêmico propõe programa de entrevistas e música sertaneja

Na noite de ontem, o acadêmico Vinícius Leonardo de Oliveira defendeu seu projeto experimental para a banca avaliadora composta pelo jornalista Marcos Pereira e pela professora Solange Engelmann. O projeto “Só Sertanejo com Vinícius Leonardo”  tem três programas com duplas de músicos de Joinville e região. Além de entrevistas, também há apresentação de músicas dos convidados.

De acordo com o estudante, que também é cantor, há pouco espaço para divulgação da cultura da região na mídia local. A intenção do programa é ocupar  essa “brecha” e  valorizar mais a cultura regional. “A escolha pelo rádio deve-se à ligação do veículo com a música sertaneja. Um dos fatores que também me motivou foi a minha paixão pela música sertaneja”, comentou.

O jornalista Marcos Pereira, um dos avaliadores, destacou pontos importantes que podem ajudar no aprimoramento do projeto do acadêmico. “Ao utilizar os trechos de músicas para ilustrar as fases da música sertaneja, poderia ir direto aos refrões e não utilizar as introduções instrumentais”, sugeriu.

Reduzir o tempo das entrevistas, mesclando-as com mais músicas também foi uma observação do jornalista. Segundo o avaliador, a equalização do som nas entrevistas e no restante do programa requer ajustes. Marcos incentivou Vinícius a apresentar a proposta a rádios locais, pois a música sertaneja tem boa audiência em Joinville.

Solange Engel, professora de Radiojornalismo, também contribuiu com suas considerações para o trabalho do estudante. Ela concordou com Marcos a respeito da necessidade de diminuir a duração das entrevistas. “Em alguns momentos, você deixou os entrevistados tomarem conta do programa”, afirmou. Ela também destacou a necessidade de dividir o programa em blocos e sentiu falta de autores específicos de radiojornalismo nas referências bibliográficas. Vinícius foi orientado pela professora Marília Crispi de Moraes e seu projeto foi aprovado com nota 8,5.

O projeto experimental com as entrevistas completas você encontra aqui.

 

 

 

 

Posts relacionados
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *